a cave

Posted in poesia by homem da cave on Dezembro 20, 2006







18. Velhos

As vozes dos velhos soam antigas.
Não os vejo, nem os corpos nem os olhares
mas sei que são vozes de velhos, são intrigas
tecidas nas gargantas. São esgares vocais.
São mortais.












3 Respostas

Subscribe to comments with RSS.

  1. georgeyk said, on Dezembro 20, 2006 at 00.00

    Valeu pelo comentário. Também gostei bastante das coisas que você escreve!
    []’s

  2. pseudoblog said, on Dezembro 20, 2006 at 00.00

    Há-os adoráveis, mas começam a rarear!

  3. homem da cave said, on Dezembro 20, 2006 at 00.00

    Quando for velhinho não quero ser nada daquilo. Referia-me a determinado tipo de velhos, e há-os de todas as idades, reconheço. Já Camões embirrava com eles, embora nessa época estivessem confinados ao Restelo.


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: