a cave

Posted in delírios, poesia by homem da cave on Abril 2, 2007







40. guache desfocado

Nas noites
o cenário é
jardins gradeados que bordam segredos
nas poças onde a chuva se juntou
leões de bronze mijando nas esquinas
sangue crú
o alcóol traçando com fina navalha a desordem
e porque a temem
polícias a guardam





4 Respostas

Subscribe to comments with RSS.

  1. Maria said, on Abril 5, 2007 at 00.00

    “Honra vos seja feita, senhores da polícia
    Pois haveis escolhido colocar-vos na frente
    O escudo despojado do sacrifício
    E é aí mesmo que visaremos”

    Obrigado por me teres feito ir buscar Boris Vian para ler. Faz bem à alma vir a este blog.

  2. salomé said, on Abril 11, 2007 at 00.00

    uma instantânea do real fabuloso. os polícias parecem oscilar no vento deste poema e quebrar os versos finais com os mesmos dentes que tremem no frio da frágil farda.

    perfeitinho.

  3. Silvia Chueire said, on Maio 10, 2007 at 00.00

    conhecer uma poesia diferente do que se está acostumada. é sempre bom.

    um abraço,
    silvia

  4. Jorge Concha Lozano said, on Maio 20, 2007 at 00.00

    Bom poema, amigo. Tnho lido pouca poesia em português; eu sou argentino. Visita meu blog, se vc quizer, e a gente pode estar em contato.
    Obrigado pela boa poesia.


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: