a cave

Posted in poesia by homem da cave on Abril 16, 2007







42. ânsia

sem mãos
para segurar
a bruma
que devora
a ilha
decepado
com um fato
às riscas
o enforcado






3 Respostas

Subscribe to comments with RSS.

  1. papagaio said, on Abril 18, 2007 at 00.00

    Olá!

    Poema que nos transporta, para além da realidade.

    Onde a bruma, ofusca o Sol, dos nossos dias.

    Gostei deste espaço poético. Diferente, e bom!

    Abraço

    Mário Maragaride

  2. Paralaxe said, on Abril 19, 2007 at 00.00

    Este Blog está listado no

    Directório Paralaxe

  3. Jorge A. S. said, on Abril 20, 2007 at 00.00

    Obrigado pela visita e pelo comentário. Não conhecia “a cave”. Gostei. Vai já para o meu Bloglines e para os linques do Prima Scripta.

    Abraço.


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: