a cave

65.

Posted in poesia by homem da cave on Fevereiro 25, 2008







ela entrou no atelier
os seus passos eram justos
o pintor não fizera a barba
que sombra estranha nos olhos
segurava o copo como um escudo
tinha o violeta derramado pelo chão





17 Respostas

Subscribe to comments with RSS.

  1. maria said, on Fevereiro 28, 2008 at 00.00

    gosto da ideia do violeta pelo chão

  2. lenor said, on Fevereiro 28, 2008 at 00.00

    Rendida, eu, aos seus escritos. Este, uma imagem a que não falta nada.

  3. Sylvia Helena said, on Fevereiro 29, 2008 at 00.00

    Os passos são tão pertubadores que o escudo feito perde todo, tudo e não só o violeta, mas o negro, ou até mesmo o branco se deixariam derramar.

    Dizer bom, ótimo, é muito pouco, é muito mais que ótimo e bom juntos.

  4. bruno said, on Março 1, 2008 at 00.00

    brilhante.
    muito bom, o uso da interrogação que não o é.

  5. un dress said, on Março 2, 2008 at 00.00

    riu-se: lilás

  6. 3vairado said, on Março 8, 2008 at 00.00

    Um veneno como um antídoto

  7. Jorge A. S. said, on Março 10, 2008 at 00.00

    Aprecio particularmente a economia de meios. Menos é mais, para quem lendo recria o poema…

  8. marianadias said, on Março 11, 2008 at 00.00

    violeta é uma cor tão bonita…
    uma palavra tão forte.

    vou te escrever ainda. andei vivendo sem o tempo, vivendo outro tempo, o não virtual. um tempo também bom, de bom trabalho. mas acho que estarei mais por aqui para ler e ecrever.

  9. matilde said, on Março 17, 2008 at 00.00

    (seria sombra? não seria o reflexo do violeta que estava derramado no chão?)

  10. luís said, on Abril 8, 2008 at 00.00

    cave man
    ou homem da cave
    ou quem sabe se vai ver o nick cave

    passei para deixar o meu link, é o meu novo blog de poesia
    estou a juntar o máximo possível de links dentro deste mundo e entretanto estás linkado também

  11. bruno said, on Abril 23, 2008 at 00.00

    dois meses.

  12. m said, on Abril 26, 2008 at 00.00

    talvez um dia volte.

  13. aida monteiro said, on Maio 18, 2008 at 00.00

    volta sim. não volta?
    ai que assim não pode ser:(

  14. m said, on Maio 20, 2008 at 00.00

    ela saiu do quarto
    os seus passos eram largos
    ele fizera a barba
    que luz estranha nos seus olhos
    pousava o copo como quem pedia para ela ficar
    tinha a luz do sol derramada pelo chão

  15. bruno said, on Junho 4, 2008 at 00.00

    m, és tu que moras aqui na cave?
    se sim, dá um jeito a isto; se não, essa variação está francamente boa.

  16. m said, on Junho 12, 2008 at 00.00

    (m de matilde e aquilo ali em cima era uma brincadeira de mau gosto)

  17. Anónimo said, on Agosto 6, 2008 at 00.00

    não vais voltar?


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: